Nova Marca: Carrefour

Antes e depois

Quem tem acompanhado o Guia, já teve contato com textos sobre as novas marcas do Walmart e Pão de Açúcar. Bem, seguindo essa linha, chegou a vez de falarmos sobre o Carrefour.

É um projeto ao qual darei mais atenção uma vez que o logotipo da companhia, uma das maiores empresas deste setor no mundo (com mais de 15 mil lojas e inaugurando quase que 1 loja por dia), foi criado em 1966 e permanecia inalterado até então.

Pra quem não sabe, o nome Carrefour significa ‘cruzamento’ em francês, pois a primeira loja foi aberta perto de um. As duas setas (sim, setas!) remetem a esse cruzamento e as cores, como não poderia ser diferente, são oriundas das cores da bandeira francesa. O que muitos não percebem é que ali no centro existe um ‘C’ em negativo. Exatamente: nada de peixinho, ET, Papai Noel, palhacinho, nada disso. Trata-se do ´C´, de Carrefour.

Bem, no dia 04 de setembro de 2009 foi lançada a nova campanha mundial Positive is Back (algo como Positivo está de volta) mas quem roubou a cena foi o redesign do logotipo.

À primeira vista, são perceptíveis as nuances que confere ao logo linhas que fluem de maneira mais suave do que seu antecessor. Porém com exceção das pontas das setas, que foram arredondadas, todo o redesenho dele é feito com base no C negativo. Repare bem. O negativo (C) segue o desenho do ‘C’ usado na nova tipografia, o que não acontecia no anterior.

Com essa mudança, as proporções foram levemente alteradas também. Na imagem abaixo feita pelo pessoal do BrandNew dá para ver o que mudou de fato de um para o outro de maneira mais didática.

Comparação -> Amarelo: logo antigo | Azul: novo logo | Verde: intersecção

O Carrefour transformou seu logo numa família com três versões especiais, cada uma utilizada de acordo com a aplicação na comunicação da companhia. A versão ”banner” é usado somente para lojas físicas; a versão ”corporate” é para comunicações do Grupo Carrefour (holding) e, finalmente, a versão”graduated” (gradientes) é para embalagens e todos os tipos de comunicação, nas lojas ou não.

Também foram criados diferentes sets coloridos do logo para uso em todas as comunicações. E, para permitir a Companhia usar o símbolo de forma expressiva e integrada ao imaginário, o Carrefour separou ele do lettering na maioria das comunicações. Isso, segundo o manual, é para que o símbolo possa refletir o espírito da empresa, o espírito daquela comunicação em si, enquanto o lettering posicionado em outra parte da peça comunica a confiança que o consumidor pode ter na marca.

Há um gama variada de versões coloridas do seu logo. Segundo o manual, essa diversidade serve para manter a marca com um sentimento vibrante e acolhedor e dá a Companhia a variedade que ela precisa para fazer com que sua comunicação seja relevante.

A tipografia usada agora é mais leve que a anterior (AmerType) e perdeu aquele sentido de “bloco” que tinha.
Trata-se de uma serifada, também, mas com cara contemporânea. Os espaços negativos são mais generosos e a altura-x é maior que o type anterior o que permite um kerning mais apurado (repare no par FO) entregando uma fluidez maior. Algo interessante também de se observar é que, com serifas menores e possibilidade de um trabalho no kerning, o nome ficou maior e mais largo usando o mesmo espaço que o anterior.

O Carrefour adotou três fontes para o uso em diferentes situações. E a fonte primária é a Omnes. Segundo o manual, o tipo dá a comunicação a Empresa um ar amistoso e humano o que posiciona a marca de forma mais próxima e relevante na mente dos consumidores.

Ela será usada para títulos de anúncios, nomes de produtos em embalagens e promoções dentro das lojas.

A Omnes é um projeto não-exclusivo da foundry DardenStudio, baseada no Brooklyn, Nova York, em conjunto com o typedesigner Christian Schwartz e foi concebida originalmente para um projeto de marca da Landor.

A fonte secundária é a Gotham Narrow. Usada para complementar a Omnes, suas principais aplicações são em textos corridos, informações detalhadas e em espaços limitados. Revistas, relatórios anuais e informações no verso de embalagens também usam a Gotham Narrow.

E como fonte padrão para tela, Arial.Neste caso, o manual é bem claro quando fala que a Arial não é pra ser usada em nenhuma comunicação profissional.

Apesar da tipografia e redesenho, a grande mudança foi a introdução de várias versões do logo em degradês.

Foram lançados quatro videos levando o posicionamento Positive is Back. Em todos, a mensagem reverberada de que é possível viver melhor, ter uma vida de maneira positiva, ilustrada por cita situações que mostram isso. Um posicionamento bem atual e também utilizado pela Walmart.


É um manual sensacional que todos deveriam estudar, não apenas para entender o redesign do Carrefour mas também para aprender sobre como projetar uma identidade visual (não só o logotipo) e como o design pode (e deve) ser feito com exatidão e minúcias.

E antes que vocês  fechem a tela, aqui está o link para o manual.

E vocês, o que acham disso tudo? Manual, projeto, design?

Fontes: Facebook Carrefour | BrandNew | ComLimão | Mundo das Marcas
Twitter Digg Delicious Stumbleupon Technorati Facebook Email

No comments yet... Be the first to leave a reply!